Justiça adia processo contra a polícia no caso Jean Charles

A Justiça britânica adiou o andamento do processo contra a Polícia de Londres no caso da morte do brasileiro Jean Charles de Menezes, ocorrida em julho do ano passado.O adiamento foi autorizado pelo juiz Timothy Workman, depois que o advogado Mark Scoggins, representando a polícia, disse que a defesa precisava de mais tempo para considerar as evidências e se preparar."Trabalhamos a toda velocidade nas últimas quatro semanas, mas precisamos de mais tempo para chegar a uma conclusão no trabalho de defesa", disse Scoggins.O processo, movido pela Comissão Independente de Queixas contra a Polícia, deve ser retomado em 19 de setembro.A Polícia de Londres é acusada de descumprir leis relacionadas à saúde e à segurança no caso.Primeira aparição"Esta é a nossa primeira aparição neste caso e nós pedimos mais tempo para analisar as evidências e as alegações", disse o chefe da polícia de Londres, Simon Foy.Jean Charles de Menezes, de 27 anos, foi morto com sete tiros na cabeça por policiais que o confundiram com um homem-bomba.O incidente ocorreu na estação de metrô de Stockwell, no sul de Londres, em 22 de julho de 2005, um dia após uma série de atentados frustrados ao sistema de transporte da cidade e duas semanas depois de ataques que deixaram mais de 50 mortos na capital britânica.No mês passado, a Promotoria Pública Britânica considerou que não havia provas suficientes para processar os policiais envolvidos individualmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.