Justiça afasta premiê tailandês por fazer programa d culinária

A Corte Constitucional da Tailândiadestituiu na terça-feira o primeiro-ministro Samak Sundaravejpor ter apresentado programas de culinária quando já seencontrava no cargo. A decisão judicial dividiu os manifestantes que há diasocupam a sede do governo, tentando pressionar Samak arenunciar. Alguns celebraram, outros disseram que o político de73 anos pode ser simplesmente reconduzido ao poder por seupartido. Wittaya Buranasiri, líder da bancada parlamentar do Partidodo Poder Popular (governista, continuidade do extinto partidodo ex-premiê Thaksin Shinawatra), manteve com relação à decisãoo mesmo tom de desafio que Samak adota nos três meses deprotestos contra si. "Insisto que nosso líder partidário seráprimeiro-ministro", disse ele a jornalistas minutos depois dasentença. O próprio Samak não se manifestou. A Bolsa de Bangcoc, que caíra 24 por cento desde o iníciodos protestos, em maio, fechou em baixa de 0,3 por cento, semter reagido à sentença. A Aliança do Povo pela Democracia, da oposição, acusa Samakde ser um boneco de Thaksin, destituído por um golpe militar em2006. Esse grupo, formado por empresários monarquistas,acadêmicos e ativistas unidos pelo ódio a Thaksin, já esperavaque Samak fosse acusado de conflito de interesses por continuarapresentando um programa numa TV comercial mesmo depois deassumir a chefia do governo. Na segunda-feira, o premiê depôs à Justiça, negandoqualquer irregularidade por ter sido apresentador dos programas"Provando, Resmungando" e "Passeando às 6h". Ele insinuou haver uma motivação política nas acusações edisse que os 80 mil bahts (2.300 dólares) que seu motoristarecebeu eram para cobrir custos de combustível e ingredientespara os programas. Samak só deixou a carreira de apresentadorem abril, mais de dois meses depois de se tornar premiê. (Reportagem adicional de Nopporn Wong-Anan)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.