Justiça analisa pedido de divulgação de apuração no Zimbábue

Comissão Eleitoral divulgou apenas o resultado das eleições parlamentares e não informou sobre as presidenciais

Efe,

09 de abril de 2008 | 06h15

Um tribunal do Zimbábue retoma nesta quarta-feira, 9, sua audiência para decidir se obriga a Comissão Eleitoral a divulgar os resultados das eleições presidenciais de 29 de março. O pedido de divulgação foi feito pelo opositor Movimento para Mudança Democrática (MDC, em inglês). Embora a Comissão Eleitoral já tenha divulgado os resultados das eleições parlamentares, não informou qualquer apuração das presidenciais, que aconteceram no mesmo dia. O Tribunal Superior de Harare, que analisa o pedido, aceitou na terça-feira, 8, tratar com caráter de urgência a reivindicação do MDC. O atraso na divulgação dos resultados aumenta a tensão no país, porque o MDC assegura ter vencido o pleito, embora o regime de Robert Mugabe, no poder desde 1980, afirma que tudo indica que o novo governante do país será conhecido apenas em segundo turno. O partido governante, Zanu-PF, pediu à Comissão Eleitoral uma recontagem dos votos, porque alega ter encontrado erros em várias jurisdições que prejudicam Mugabe. A União Européia (UE) e os Estados Unidos pediram que o resultado seja anunciado o mais rápido possível, uma posição que também foi expressada pela África do Sul, o país que pode exercer mais pressão diplomática sobre o Zimbábue.

Tudo o que sabemos sobre:
Zimbábueeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.