Justiça arquiva caso de blasfêmia contra menina

A Justiça paquistanesa arquivou ontem o caso de blasfêmia contra uma menina cristã presa em agosto acusada de ter queimado páginas do Alcorão, o livro sagrado do Islamismo. O caso atraiu críticas internacionais e chamou a atenção para as condições das minorias religiosas no Paquistão. Em setembro, Rimsha Masih, que tem 14 anos de idade, foi libertada sob fiança, após um clérigo muçulmano ser detido acusado de plantar provas contra ela para fomentar o ódio contra cristãos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.