AP
AP

Justiça bósnia condena 4 ex-militares a 142 anos de prisão por massacre

Um dos condenados deverá ficar preso 43 anos, sentença mais severa ditada até agora por esse tribunal

Efe,

15 de junho de 2012 | 17h27

SARAJEVO - Um tribunal especial da Bósnia-Herzegovina condenou nesta sexta-feira, 15, quatro ex-membros de uma unidade especial do Exército servo-bósnio a 142 anos de prisão por seu envolvimento no massacre de Srebrenica em julho de 1995.

Veja também:

link 'Não houve genocídio em Srebrenica', diz líder

link Julgamento de Mladic é suspenso por erros da promotoria

Os quatro acusados foram condenados por sua participação no assassinato de 800 muçulmanos na fazenda de Branjevo, próximo a Srebrenica, no leste da Bósnia.

O principal acusado, Stanko Savanovic Kojic, recebeu uma pena de 43 anos de prisão; enquanto seus cúmplices Franc Kos e Zoran Goronja, ficarão presos por 40 anos e Vlastimir Golijan por 19.

Os 43 anos de prisão são a sentença mais severa ditada até agora por este tribunal da Bósnia-Herzegovina, que julga os casos de crimes de guerra.

Cerca de oito mil muçulmanos foram assassinados depois que as forças servo-bósnias conquistaram o enclave oriental de Srebrenica, em julho de 1995, poucos meses antes do fim da guerra bósnia, que durou três anos e meio.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.