Paul Hackett/Reuters
Paul Hackett/Reuters

Justiça britânica nega recurso contra extradição do fundador do Wikileaks

Australiano Julian Assange enfrenta acusações de delitos sexuais na Suécia

BBC

02 de novembro de 2011 | 08h30

LONDRES - A Alta Corte de Londres rejeitou nesta quarta-feira, 2, o recurso do fundador do site WikiLeaks (especializado em vazamento de informações), Julian Assange, contra sua extradição para a Suécia para ser interrogado sobre acusações de abuso sexual e estupro.

 

Veja também:

especialESPECIAL: Por dentro do Wikileaks

Assange nega as alegações e diz que elas têm motivação política. "Não estuprei aquelas mulheres nem posso imaginar o que tenha ocorrido entre nós que as faria pensar isso, exceto má intenção após o fato, um plano conjunto para me apanhar em uma armadilha, ou um terrível equívoco alimentado entre elas", escreveu ele em um artigo publicado em setembro no diário The Independent.

"Posso ser uma espécie de porco chauvinista, mas não sou estuprador, e apenas uma visão distorcida das políticas sexuais pode tentar me transformar em um", afirmou.

Ainda não está claro se ele pode recorrer da decisão na Suprema Corte, a mais alta instância do Judiciário britânico. Assange passou grande parte deste ano em prisão domicilar na Inglaterra.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.