Reuters
Reuters

Justiça chilena indicia viúva de Pinochet

Lucía Hiriart de Pinochet, de 93 anos, que deverá comparecer ante a justiça no dia 14, foi internada no domingo no Hospital Militar de Santiago por um problema respiratório, mas já recebeu alta

O Estado de S. Paulo

23 de novembro de 2016 | 20h29

SANTIAGO - A viúva do ex-ditador chileno Augusto Pinochet foi intimada a depor pela primeira vez, e na qualidade de indiciada, em uma investigação por malversação de dinheiro público da fundação que presidia até pouco tempo atrás.

Lucía Hiriart de Pinochet, de 93 anos, que deverá comparecer ante a justiça no dia 14, foi internada no domingo no Hospital Militar de Santiago por um problema respiratório, mas já recebeu alta.

Considerada a mulher forte por trás da cruel ditadura de seu marido (1973-1990), Lucía está com problemas com a justiça desde que foram tornadas públicas denúncias de negócios imobiliários da fundação Cema-Chile, criada durante a ditadura para dar formação a donas de casa. Ao fim da ditadura, perdeu seu caráter social e virou um lucrativo negócio imobiliário.

Em 2015, o Ministério de Bens Nacional apresentou uma denúncia para reclamar 135 propriedades que foram transferidas gratuitamente para Cema-Chile, avaliadas em US$ 120 milhões. A investigação apontou que a entidade teria usado US$ 50 mil da fundação para custear a defesa de Pinochet quando ele esteve preso em Londres, entre 1998 e 2000. / AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.