Justiça chinesa acata denúncia sobre leite contaminado

Uma Corte de Justiça no norte da China acatou uma denúncia para abrir um processo de indenização contra uma companhia de laticínios sobre o escândalo de leite contaminado. Trata-se da primeira instância que concordou em abrir tal processo. O advogado Peng Jian disse que a corte informou que passaria ao próximo passo: decidir se realiza ou não um julgamento sobre o tema. Essas decisões geralmente levam um mês, segundo Peng. "Essa é a primeira vez que uma corte aceita um processo (nesse escândalo), por isso aplaudimos a decisão", afirmou o advogado. "Esse processo foi aberto de acordo com padrões internacionais."

AE-AP, Agencia Estado

25 de março de 2009 | 10h54

Peng disse que seus clientes são os pais que vivem em Pequim de uma criança que estava entre os milhares de contaminados pelo produto químico melamina. Essa substância era acrescentada propositalmente no leite por funcionários da empresa a fim de fraudar testes de proteína. Com isso, era possível adicionar água à mistura, aumentando os lucros. "Contanto que possamos provar que a criança bebeu produtos, não haverá dúvida de que ganharemos", disse o advogado. "A única questão realmente é de quanto será a indenização."

Peng disse que abriu seis casos separados na Corte de Shijiazhuang, e o aceito nesta semana envolve o menor pedido de indenização. Segundo ele, a enfermidade relativamente leve da criança justifica um pedido menor, de US$ 4.500. Já no caso de uma criança que morreu na província de Henan, no centro chinês, o advogado disse que pede US$ 44 mil.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaleitecontaminação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.