Justiça dá aval para 3º mandato de Evo Morales

O Tribunal Constitucional da Bolívia deu sinal verde ontem para que o presidente Evo Morales volte a ser candidato nas eleições do ano que vem. Tomada por unanimidade pelos juízes, a decisão abre caminho para que o líder bolivariano permaneça no poder até 2020.

LA PAZ, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2013 | 02h01

Evo foi eleito pela primeira vez em 2005 para cumprir mandato de 2006 a 2011. No entanto, no meio do caminho, o presidente conseguiu aprovar uma nova Constituição, que entrou em vigência em 2009 - expediente similar ao usado pelo venezuelano Hugo Chávez e pelo equatoriano Rafael Correa. No mesmo ano, Evo disputou e venceu a eleição para o período de 2010 a 2015.

O presidente do tribunal, Ruddy Flores, afirmou que a decisão "determina a constitucionalidade" da reeleição de Evo e de seu vice, Alvaro García Linera. A oposição boliviana exigia que a possibilidade de segundo mandato fosse submetida a referendo nacional. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.