JF Diório/Estadão
JF Diório/Estadão

Justiça da Colômbia nega liberdade a ex-vice-ministro envolvido no caso Odebrecht

Gabriel Garcia Morales está preso desde 13 de janeiro, pelo suposto recebimento de US$ 6,5 milhões em propina

O Estado de S.Paulo

01 de março de 2017 | 01h09

BOGOTÁ - Um juiz de Bogotá negou nesta terça-feira, 28, a liberdade ao ex-vice-ministro de Transportes Gabriel García Morales, primeiro preso na Colômbia pelo suposto recebimento de propina da construtora Odebrecht. Ele está sob custódia desde 13 de janeiro no presídio de La Picota, na capital colombiana. 

García pretendia recobrar a liberdade, porém o Tribunal Penal Municipal de Bogotá acolheu os argumentos da Procuradoria-Geral, que advertiu que ele poderia criar obstáculos ao trabalho da Justiça dada a "influência que ele mantém dentro do poder público".

O ex-vice-ministro já reconheceu ser o autor dos delitos de suborno, interesse indevido na celebração de contratos e enriquecimento ilícito, todos vinculados à concessão dos contratos do setor 2 da Rota do Sol à Odebrecht, no final de 2008, durante o governo do ex-presidente conservador Álvaro Uribe.

A Rota do Sol é uma rodovia que liga o interior do país com a costa do Atlântico. A estrada ainda não foi concluída. Segundo as investigações, o ex-vice-ministro recebeu US$ 6,5 milhões para conceder a obra ao consórcio liderado pela Odebrecht.

Por este contrato, também está detido o ex-senador Otto Bula, que teria recebido, segundo investigadores, US$ 4,6 milhões em propina. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.