Justiça da Indonésia inocenta editor da Playboy de acusação de indecencia

Editor cumpria pena de dois anos; versão indonésia da revista não continha mulheres nuas.

BBC Brasil, BBC

23 de junho de 2011 | 16h39

A Suprema Corte da Indonésia inocentou nesta quinta-feira o editor da revista Playboy no país, Erwin Arnada, que cumpria sentença de dois anos por distribuir e lucrar com fotos indecentes.

O advogado de Arnada, Todung Mulya Lubis, disse à BBC que o editor agora é um homem livre.

"Ainda não recebemos uma cópia desta decisão, mas a Suprema Corte afirmou que o veredito foi divulgado", disse.

Erwin Arnada foi detido na ilha de Bali após ignorar ordens para se entregar à polícia, depois da imposição da sentença em agosto de 2010.

Indonésia

A versão indonésia da Playboy não continha nudez, mas grupos islâmicos obrigaram o fechamento da revista depois de apenas algumas edições em 2006, por publicar imagens de mulheres, algumas delas, com pouca roupa.

O grupo muçulmano linha dura indonésio Frente dos Defensores do Islamismo chamou Arnada de "terrorista moral".

Alguns críticos argumentaram que a condenação de Arnada é sinal do crescente poder dos grupos islâmicos no país.

O Parlamento indonésio aprovou, com o apoio de grupos islâmicos, uma lei polêmica contra a pornografia em 2008.

A lei foi criticada em várias partes da Indonésia, particularmente na ilha de Bali, predominatemente hindu.

A Indonésia é um estado laico, com uma longa tradição de tolerância.

No entanto, nos últimos anos, grupos islâmicos conservadores passaram a se manifestar contra determinadas práticas, tornando a pornografia um dos principais testes para a influência do Islã na política do país.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
indonésiaplayboyeditorerwin arnada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.