LEON NEAL / AFP
LEON NEAL / AFP

Justiça dá prazo para defesa de príncipe Andrew

Duque de York terá até julho de 2022 para se defender das acusações de assédio sexual feitas pela americana Virginia Giuffre

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2021 | 22h00

LONDRES - A Justiça dos Estados Unidos definiu nesta terça-feira, 26, um prazo para que o príncipe Andrew, filho da rainha Elizabeth II, responda sobre as acusações de assédio sexual feitas pela americana Virginia Giuffre. Com a decisão, o duque de York terá até julho de 2022 para se defender. 

Andrew é acusado por Virginia de ter cometido agressões sexuais contra ela, entre 2000 e 2002. A americana alega que foi uma das vítimas da rede criminosa de Jeffrey Epstein, bilionário que se suicidou em uma prisão de Manhattan, em 2019.

Virginia afirma que teria sido obrigada a manter relações sexuais com Andrew quando tinha apenas 17 anos. Ela diz ter sido abusada pelo príncipe na casa da socialite britânica e ex-namorada de Epstein, Ghislaine Maxwell, em Londres, e nas mansões de Epstein em Manhattan e em Little St. James, nas Ilhas Virgens Americanas. 

Andrew nega as acusações e chegou a expressar dúvidas sobre a autenticidade de uma foto na qual ele aparece com Virginia e Ghislaine, que é acusada de aliciar as garotas. 

Segundo diversas vítimas, Epstein atraía as meninas – muitas menores de idade – para suas casas de luxo em Nova York, na Flórida e no Caribe, onde elas recebiam por atos sexuais. O bilionário era muito amigo do duque de York, que se retirou da vida pública após o escândalo./AP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.