Justiça da Ucrânia adia decisão sobre eleição presidencial

A Suprema Corte da Ucrânia informa que não tomará hoje uma decisão sobre o resultado da eleição presidencial da semana passada. A comissão responsável pelo pleito declarou o primeiro-ministro Viktor Yanukovych vencedor, mas o candidato da oposição, Viktor Yushchenko, denunciou fraude. Milhares de manifestantes foram às ruas para protestar ao longo dos últimos dias, e o Parlamento ucraniano aprovou um voto de censura à comissão eleitoral. O juiz Anatoliy Yarema disse que a corte dará aos advogados de Yanukovych até as 10h00 da manhã de amanhã para estudar provas apresentadas por Yushchenko. Milhares de seguidores do candidato da oposição estão reunidos do lado de fora da Suprema Corte. Yushchenko repudiou um pedido do governo para que retirasse seus apoiadores das ruas e exortou os manifestantes a continuar com a vigília e os piquetes diante de prédios públicos, impedindo a entrada de funcionários.Seguidores de Yanukovych também adotam uma postura de linha-dura. Em Donetsk, principal base política do primeiro-ministro, o legislativo local aprovou, por 164 votos a 1, a realização de um referendo sobre a autonomia da província. O referendo, marcado para o próximo domingo, pedirá aos eleitores que reivindiquem o status de república para a região. Isso exigirá uma mudança na Constituição ucraniana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.