Justiça desiste de soltar ex-torturadores

A Justiça argentina voltou atrás ontem em sua decisão de libertar ex-repressores da ditadura militar (1976-1983), entre eles Alfredo Astiz, conhecido como o "anjo loiro". O anúncio, na quinta-feira, de que 11 ex-torturadores seriam soltos provocou fortes protestos de grupos de direitos humanos e da presidente argentina, que qualificou a medida como "uma vergonha". A Justiça havia considerado que os acusados excederam o tempo de prisão preventiva permitido - 2 anos, prorrogável por mais 1 ano - sem receber nenhuma sentença definitiva. Astiz, acusado de assassinatos, está detido desde 2001.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.