Justiça deve decidir sobre apuração no Zimbábue nesta terça

Apesar de não fornecer dados precisos, o governo sustenta que será necessário um segundo turno

Efe

08 de abril de 2008 | 05h43

O Tribunal Superior de Harare deve divulgar nesta terça-feira, 8, sua decisão sobre uma solicitação da oposição para que sejam divulgados urgentemente os resultados das últimas eleições presidenciais, segundo fontes jurídicas.   O pedido foi feito pelo Movimento para Mudança Democrática (MDC, em inglês), que afirma ter vencido o pleito de 29 de março, do qual não há nenhum dado parcial sobre a apuração.   O Tribunal anunciou na segunda-feira, 7, que tinha jurisdição sobre o tema, apesar de a Comissão Eleitoral entender que esta última instituição, como órgão independente, é a única que pode decidir quando deve divulgar os resultados da votação.   Embora a Comissão Eleitoral já tenha divulgado os dados da apuração das eleições parlamentares que aconteceram simultaneamente às presidenciais, não forneceu qualquer resultado destas últimas. As partes participam da convocação de novo ao Tribunal Superior a partir das 10 horas (5 horas de Brasília).   A oposição sustenta que, segundo o cômputo dos dados fixados nas atas eleitorais colocadas nos arredores dos centros de votação, recebeu votos suficientes no pleito presidencial sem a necessidade de um segundo turno.   O MDC assegurou que seu candidato presidencial, Morgan Tsvangirai, obteve 50,3% dos votos, enquanto 43,8% ficariam com o presidente Robert Mugabe, no poder desde a independência do Zimbábue, em 1980.   Apesar de não fornecer dados precisos, o governo sustenta que será necessário um segundo turno, e o partido governante, Zanu-PF, já anunciou que concorrerá.

Tudo o que sabemos sobre:
Zimbábueeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.