Justiça do Iraque pede prisão de vice-presidente

Uma comissão judicial iraquiana emitiu ontem um mandado de prisão contra o vice-presidente do Iraque, o sunita Tareq al-Hashemi, por envolvimento em assassinatos e bombardeios. A decisão pode aumentar a tensão sectária no Iraque, onde há uma frágil divisão de poder entre xiitas, sunitas e curdos, que tentam superar os problemas que quase levaram o país a uma guerra civil há alguns anos.

BAGDÁ, O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2011 | 03h06

O porta-voz do Ministério do Interior, o general Adel Daham, disse que confissões obtidas por suspeitos identificados como seguranças de Hashemi envolvem o vice-presidente em casos de assassinatos e de ataques contra funcionários do governo iraquiano e das forças de segurança.

"Um mandado de prisão foi emitido contra o vice-presidente Tareq al-Hashemi de acordo com o Artigo 4 da lei de terrorismo", disse Daham. Ele já havia anunciado, mais cedo, que o vice-presidente estava proibido de deixar o país, aumentando a tensão no Iraque.

A retirada dos soldados americanos, no domingo, pôs fim a quase nove anos de guerra, mas deixou muitos iraquianos temerosos de que uma paz instável entre a maioria xiita e os sunitas possa entrar em colapso, reacendendo a violência sectária. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.