Justiça dos EUA quer reabrir casos sobre abusos da CIA

O comitê de ética do Departamento de Justiça dos Estados Unidos recomendou ao procurador-geral, Eric Holder, a reabertura de vários processos sobre abusos de prisioneiros supostamente cometidos por agentes da CIA (agência norte-americana de inteligência). A informação foi divulgada hoje por um funcionário do governo.

AE-AP, Agencia Estado

24 de agosto de 2009 | 12h42

A recomendação do departamento representaria uma mudança em comparação com a administração do ex-presidente George W. Bush, que arquivou os casos. A iniciativa poderia resultar em processos criminais por supostos abusos contra suspeitos por terrorismo, nos anos posteriores ao 11 de setembro. A recomendação do Escritório de Responsabilidade Profissional foi apresentada a Holder recentemente, disse o funcionário, que falou sob condição de anonimato. O Departamento de Justiça deve reabrir um caso de 2004, detalhando os supostos abusos contra prisioneiros.

Também hoje, o jornal "Washington Post" revelou que o presidente Barack Obama firmou uma ordem criando uma unidade especial para interrogadores, que se reportará diretamente à Casa Branca. Um porta-voz de Obama confirmou a informação. Segundo o jornal, a nova unidade especial criada pelo governo será formada por especialistas tanto do setor jurídico quanto da comunidade de inteligência. Obama aprovou a criação do órgão na semana passada.

Durante a era Bush, a CIA liderava os interrogatórios de supostos membros da Al-Qaeda. O funcionário disse que a nova equipe não alterará a decisão de proibir os chamados "interrogatórios duros", considerados tortura por grupos de direitos humanos, entre eles a técnica de afogamento.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAJustiçaCIAabusos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.