AP/Manu Fernandez
AP/Manu Fernandez

Justiça espanhola indicia quatro suspeitos presos por atentado em Barcelona

Juiz do caso deve decidir ainda hoje se mantém os acusados em prisão preventiva, como pediu o Ministério Público Espanhol

O Estado de S.Paulo

22 Agosto 2017 | 13h37

BARCELONA, ESPANHA - Os quatro suspeitos dos atentados da semana passada em Barcelona e Cambrils, que deixaram 15 mortos, foram indiciados nesta terça-feira, 22, por homicídio, terrorismo e posse de explosivos.

O juiz do caso deve decidir ainda hoje se mantém os acusados em prisão preventiva, como pediu o Ministério Público Espanhol.

Durante a audiência, dois dos quatro suspeitos disseram perante o juiz que o imã Abdelbaki Es Satty de uma mesquita de Ripoll, no interior da Catalunha, os instigou para cometer o ataque, segundo a agência Reuters. O religioso morreu em uma explosão na casa na qual o atentado era preparado um dia antes do ataque. 

Ao menos 12 pessoas feridas no atentado seguem internadas, segundo o governo espanhol. 

Mohamed Houli Chemlal, um dos suspeitos de planejar o duplo ataque terrorista que deixou 15 mortos na Catalunha, admitiu nesta terça-feira, 22, diante de um juiz espanhol que preparava junto com seus companheiros na célula terrorista um atentado de maior impacto, afirmou uma fonte do judiciário espanhol.

Mais conteúdo sobre:
HomicídioTerrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.