Justiça espanhola proíbe partido nacionalista basco

A Justiça espanhola aprovou o pedido do juiz Baltasar Garzón para proibir as atividades do partido nacionalista basco Herri Batasuna (HB), acusado de ser o braço político da organização extremista ETA (Pátria Basca e Liberdade). Garzón deverá efetivar segunda-feira a proscrição do HB, bem como o fechamento da sede da agremiação, no País Basco. A decisão do tribunal provocou grande manifestação de protesto de nacionalistas, que tomaram as ruas de Bilbao (País Basco), enquanto a polícia reforçava a segurança em todo a Espanha, temendo atentados terroristas. O presidente do HB, Arnaldo Otegui, havia advertido o governo do primeiro-ministro José María Aznar para as "danosas conseqüências que advirão do fechamento do partido". Otegui nega que o Herri Batasuna tenha vínculos com os terroristas, mas se recusa a condenar os atentados cometidos pela ETA. O HB, que classifica sua proscrição de inconstitucional, tem até segunda-feira para recorrer. Mas uma ação judicial nesse sentido não teria força para suspender a efetivação da sentença ditada hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.