Mike Segar/Reuters
Mike Segar/Reuters

Justiça estabelece fiança para assassino de garoto negro nos EUA

O vigia George Zimmerman deverá pagar US$ 150 mil; ele pediu desculpas à família de Trayvon Martin

AE, Agência Estado

20 de abril de 2012 | 16h49

SANFORD - O segurança voluntário George Zimmerman, que matou um adolescente negro desarmado, pediu desculpas à família da vítima nesta sexta-feira, 20, durante a audiência na qual ele tentou ser libertado antes do julgamento.

Veja mais:

linkMorte de adolescente negro em caso suspeito de racismo indigna Obama

video VÍDEO: Vigia que matou jovem negro ileso em delegacia

linkEntenda o caso do adolescente negro assassinado na Flórida

O caso envolvendo a morte de Trayvon Martin se transformou num assunto nacional porque a polícia esperou 44 dias para deter Zimmerman. Líderes de entidades que lutam pelos direitos civis disseram que se o adolescente fosse branco, Zimmerman teria sido detido e indiciado na noite dos disparos. O pai de Zimmerman é branco e sua mãe é descendente de peruanos.

Em cadeia nacional de televisão Zimmerman disse aos pais de Trayvon Martin que "eu sinto muito pela perda de seu filho". Essas foram as primeiras declarações públicas de Zimmerman desde a morte do adolescente.

O juiz estipulou a fiança de Zimmerman em US$ 150 mil e seu advogado disse que ele poderia ser libertado em alguns dias. Autoridades e advogados precisam trabalhar nos preparativos para que Zimmerman fique fora da Flórida enquanto espera o julgamento por assassinato em segundo grau, porque o acusado tem recebido ameaças contra ele e sua família.

Zimmerman afirma que Martin o atacou depois que ele começou a seguir o adolescente em 26 de fevereiro, porque achou que o garoto de 17 anos parecia suspeito ao andar pelo bairro, que é cercado. Zimmerman disse que ele socou seu nariz e jogou sua cabeça contra a calçada.

Vestindo terno escuro, camisa branca e gravata cinza, embora estivesse algemado e parecesse usar um colete à prova de balas, Zimmerman subiu ao local onde ficam as testemunhas e fez a breve declaração aos pais de Martin, que estavam no tribunal.

"Eu quero dizer que sinto muito pela perda de seu filho. Eu não sabia sua idade. Eu achei que ele fosse um pouco mais novo do que eu. Eu não sabia se ele estava armado ou não", declarou Zimmerman.

Os advogados dos pais de Martin disseram que o pedido de desculpas foi decepcionante. "Este foi (o pedido de desculpas) mais dissimulado e desleal que eu já vi", disse Natalie Jackson, que faz parte do grupo de advogados de Tracy Martin e Sybrina Fulton. "Este foi o pedido de desculpas mais sem significado (que eu já ouvi)."

O juiz Kenneth Lester estabeleceu várias condições para a libertação de Zimmerman, algo que segundo ele não vai acontecer nesta sexta-feira. Ele não disse quando exatamente Zimmerman será libertado. Zimmerman não pode carregar qualquer tipo de arma, ingerir álcool ou usar drogas ilegais e deve cumprir um toque de recolher entre 19h e 6h. Ele entregou seu passaporte à polícia no início da audiência.

As informações são da Associated Press

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.