Justiça exige que Parlamento iraquiano retome trabalhos

A Suprema Corte do Iraque determinou neste domingo que o Parlamento iraquiano retome os trabalhos, depois de quase oito meses de um impasse político que paralisou a casa e manteve o país sem governo.

Agência Estado

24 de outubro de 2010 | 14h33

A ordem é que o Parlamento se reúna e eleja um novo presidente, o primeiro passo para a formação de uma coalizão no Iraque, que está sem governo desde as eleições de 7 de março, segundo o porta-voz da corte, Abdul Sattar Bayrakdar.

"Em decisão tomada hoje, a Suprema Corte ordenou que o Parlamento retome suas reuniões costumeiras e faça seu trabalho habitual", Disse Bayrakdar.

O bloco Iraqiya, do ex-premiê Iyad Allawi, dominado por sunitas, teve uma vitória apertada nas eleições de março, assegurando 91 dos 325 assentos do Parlamento. A aliança xiita Estado de Direito, do primeiro-ministro Nuri al-Maliki, conquistou 89 cadeiras.

Nenhum dos dois grupos conseguiu obter a maioria necessária para a formação de um governo, apesar de negociações de bastidores com vários blocos de xiitas, sunitas e curdos que também conquistaram assentos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueParlamentoSuprema Corte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.