Justiça filipina condena dois americanos à prisão perpétua

Réus são culpados de enganar pessoas com falsas promessas de trabalho nos EUA

Agencia Estado

27 Junho 2007 | 14h40

Dois americanos foram condenados à prisão perpétua por um tribunal das Filipinas. Eles foram considerados culpados de enganar vários filipinos com promessas falsas de trabalho, informou nesta quarta-feira, 27, a imprensa do país. Além disso, a juíza ordenou que os dois, Charles Craven e Bill Mosier, indenizem cada uma de suas 11 vítimas com 27 mil pesos (€ 433). Eles devem pagar ainda uma multa adicional de 100 mil pesos, segundo o jornal The Philippine Daily Inquirer. Craven e Mosier administravam uma empresa de recursos humanos que oferecia, por US$ 600, contratos de seis meses nos Estados Unidos a enfermeiras, fisioterapeutas, informáticos e farmacêuticos. Os candidatos aos empregos desembolsaram o dinheiro e, após vários meses de espera, descobriram que a companhia era uma fraude, afirma a sentença. Dos 33 litigantes iniciais, só 11 mantiveram a ação e serão indenizados.

Mais conteúdo sobre:
Filipinas americanos justiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.