Justiça grega condena 15 acusados de terrorismo

Uma corte grega condenou 15 membros da célula terrorista 17 de Novembro, incluindo o líder e o principal assassino do grupo, pelo papel desempenhado em uma série de mortes executadas ao longo de quase 30 anos de atentados. A condenação põe fim ao último dos julgamentos, na Europa, de membros de grupos terroristas surgidos nos anos 70. A repressão dura ao 17 de Novembro vem como um alívio para as autoridades envolvidas na preparação dos Jogos Olímpicos de 2004.Seguindo-se a um julgamento de nove meses, conduzido numa prisão semelhante a uma fortaleza, três juízes emitiram diversas condenações contra Alexandros Giotopoulos, de 58 anos, como o mentor intelectual do grupo que eludiu as autoridades por mais de uma geração. Entre os outros condenados está Dimitris Koufodinas, principal assassino profissional do grupo, implicado em cerca de 20 mortes.Quatro réus foram absolvidos. As sentenças devem sair na quarta-feira. Giotopoulos, um intelectual francês, negou qualquer ligação com o grupo, mas os demais confessaram seus papéis. Koufodinas assumiu, perante o tribunal, ?responsabilidade política? por todas as ações do 17 de Novembro, que tiveram início em 1975, com o assassinato de um agente da CIA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.