Justiça nega apelação por veto a perfurações no Golfo

A Justiça dos Estados Unidos negou hoje uma ação da Casa Branca para que volte a valer a suspensão por seis meses das perfurações de poços de petróleo em águas profundas no Golfo do México. O juiz federal americano Martin Feldman, que vetou a proibição nesta semana, negou hoje apelação do governo.

AE, Agência Estado

24 de junho de 2010 | 18h20

Na terça-feira, Feldman determinou que o governo dos EUA não poderia aplicar a proibição às perfurações no Golfo do México, decretada em 28 de maio pelo Departamento do Interior do país em resposta ao vazamento na região. O secretário do Interior dos EUA, Ken Salazar, apresentou ontem uma moção para bloquear a determinação do juiz enquanto o governo apelasse da decisão.

Hoje, no entanto, Feldman negou a moção "pelas mesmas razões apresentadas" na decisão de terça-feira, quando ele afirmou que o governo do presidente Barack Obama não forneceu fatos suficientes para declarar a moratória. O juiz, no entanto, também negou hoje uma moção apresentada por companhias ligadas ao setor petrolífero para fazer valer a suspensão da moratória.

Isso significa que o governo dos EUA pode apresentar uma moção de emergência no tribunal de apelação pedindo a manutenção da moratória até que a batalha jurídica sobre o assunto seja resolvida - algo que a Casa Branca provavelmente fará. Feldman deu a Salazar 30 dias "para reportar o cumprimento" da decisão de terça-feira. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.