Justiça ordena prisão de 3 jornalistas em Bangladesh

Um tribunal de justiça em Bangladesh ordenou a prisão de três jornalistas de um jornal favorável à oposição sob acusação de publicarem uma falsa história de que forças de segurança supostamente indianas se juntaram às tropas do país para fazer repressão antes das controversas eleições.

AE-AP, Agência Estado

18 de janeiro de 2014 | 13h49

O ministro de Informação, Hasanul Huq Inu, informou na sexta-feira que a matéria veiculada pelo jornal Inqilab era infundada e a publicação teria usado um e-mail adulterado para sustentá-la. A polícia deteve o editor do diário, Rabiullah Rabi, o vice-chefe de reportagem, Rafiq Mohammad, e o correspondente diplomático, Ahmed Atique.

O magistrado Atiqur Rahman ordenou que os jornalistas permaneçam detidos até a audiência, marcada para segunda-feira (20). Os repórteres, que foram presos por violar o Ato de Informação Tecnológica, buscam liberação mediante pagamento de fiança. O governo disse que não interromperá a publicação do jornal, mas isolou temporariamente os equipamentos de impressão. O diário continuará operando na versão online.

O primeiro-ministro de Bangladesh, Sheikh Hasina, retornou ao poder em uma vitória esmagadora em 5 de janeiro, mas a votação foi marcada por violência, pelo boicote do principal partido da oposição e pelo baixo comparecimento de eleitores às urnas. A tensão política perturba o país nos últimos meses, enquanto ativistas da oposição realizam ataques, greves e bloqueios de estradas para desafiar o governo. Quase 300 pessoas foram mortas desde fevereiro de 2013. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
BANGLADESHPRISÃOJORNALISTAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.