Justiça ordena prisão de funcionários de Pinochet

A Justiça espanhola decretou ontem a prisão de sete ex-funcionários da Direção de Inteligência Nacional (Dina) chilena acusados de envolvimento no sequestro, na tortura e na morte do diplomata espanhol Carmelo Soria Espinoza, assassinado em 1976 pelo serviço secreto da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990). O ex-diretor da Dina Juan Guillermo Manuel Contreras está entre os indiciados. O juiz Pablo Ruz alegou o "princípio de jurisdição internacional" para casos de crimes contra a humanidade para justificar seu pedido de prisão em outro país.

O Estado de S.Paulo

31 de outubro de 2012 | 02h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.