Justiça poderá processar ex-ditador turco de 94 anos

O ex-ditador militar da Turquia, Kenan Evren, de 94 anos, poderá ser condenado à prisão perpétua pelo golpe de Estado que comandou em 1980, disse nesta terça-feira o promotor Huseyin Gorusen. Além de Evren, o ex-comandante da Força Aérea da Turquia, Tahsin Sahinkaya, também poderá ser condenado à mesma pena. Um tribunal agora deverá decidir se aceita o indiciamento de Evren e de Sahinkaya por crimes contra o Estado e inicia um julgamento.

AE, Agência Estado

03 de janeiro de 2012 | 15h13

A ação legal tomada contra Evren e Sahinkaya - os dois líderes sobreviventes do golpe militar turco de 1980, que deixou centenas de mortos - ocorre no momento em que o governo do primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan, do partido AK, de raízes islâmicas, tenta reduzir a influência dos militares no país.

As autoridades turcas também estão abrindo ações judiciais e uma série de julgamentos contra centenas de pessoas acusadas de envolvimento em supostas tentativas mais recentes de golpes de Estado. Entre essas centenas de pessoas estão muitos militares da ativa e da reserva. No início, esse julgamentos foram bem vistos, mas os longos períodos de prisão de acusados sem julgamento ou sem veredictos, além de supostas irregularidades com as provas sobre as conspirações, levaram a acusações de que o governo está manipulando o processo.

Em 1980, Evren foi inicialmente apontado como um herói por grande parte da população, porque o golpe militar levou ao fim as sangrentas lutas entre a esquerda e a direita turcas, que ameaçavam levar o país a uma guerra civil. Mas Evren também é lembrado pela prática de torturas sistemáticas contra opositores e supostos militantes, bem como pela adoção de uma Constituição que restringiu as liberdades e formalizou o papel dos militares na política turca.

Gorusen disse que Evren será julgado por desfechar o golpe de Estado e que um julgamento separado poderá ser feito sobre os casos de tortura.

Recentemente, o governo de Erdogan iniciou negociações com os partidos da oposição turca para reescrever a Constituição, que data de 1982.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.