Justiça proíbe associação de pedófilos na Holanda

Para a Corte, promoção de relações entre adultos e crianças ultrapassa o limite moral do país

AP,

28 de junho de 2012 | 10h48

AMSTERDÃ - A Justiça da Holanda declarou ilegal na quarta-feira, 27, uma Associação de Pedófilos, chamada Martijn. Para a corte, a promoção de relações sexuais entre adultos e crianças ultrapassa o limite moral do país, conhecido pela tolerância.

Veja também:

linkOperação da PF prende oito integrantes de rede mundial de pedofilia

linkTrio invade e-mail e distribui fotos íntimas de adolescente no Rio

linkHomem é preso em flagrante por abusar de menina de 10 anos, no Rio 

A ordem judicial determina a imediata dissolução do grupo, fundado em 1982. Em um comunicado, o Tribunal disse que a Martijn representa uma ameaça à ordem pública, porque "glorifica o comportamento sexual entre adultos e crianças, apresentando-o como algo que deve ser normal e aceitável".

O presidente da associação, Marthijn Uittenbogaard, disse que a decisão é "um ataque à liberdade de expressão na Holanda". No site, a organização diz que foi criada em 1982 como uma plataforma para discutir a pedofilia na Holanda.

Marthijn foi ignorada por muitos anos, mas passou a ser atacada recentemente por legisladores e magistrados. No ano passado, o ex-presidente da associação, Ad van den Berg, foi declarado culpado por pornografia infantil e sentenciado a três anos de prisão.

 

Mais conteúdo sobre:
PedofiliaHolandadecisãoCorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.