Justiça retira acusação de fraude contra Zuma

A Procuradoria-Geral da África do Sul retirou ontem as acusações de corrupção contra o candidato à presidência Jacob Zuma, encerrando oito meses de investigações a menos de três semanas das eleições gerais. Zuma, que preside o Congresso Nacional Africano, havia sido indiciado por corrupção, extorsão e fraude fiscal em dezembro de 2007, poucos dias depois de assumir o comando do partido no lugar do então presidente Thabo Mbeki. Ele era suspeito de ter subornado uma filial sul-africana do grupo de armamento francês Thales quando ainda era vice-presidente do país (1999-2005). Zuma lidera as pesquisas de intenção de voto para as eleições do dia 22.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.