Justiça russa acusa líder de protestos de roubo

A Promotoria da Rússia indiciou ontem o blogueiro e ativista Alexei Navalni, que protesta contra a corrupção no país, acusando-o de apropriação indébita, delito que prevê pena de até 10 anos de prisão. A acusação foi considerada a medida mais dura já adotada contra um líder dos movimentos de protesto que tiveram início em dezembro.

MOSCOU, O Estado de S.Paulo

01 de agosto de 2012 | 03h03

O Ministério Público acusou Navalni de organizar uma fraude para roubar madeira da empresa KirovLes, de propriedade estatal, enquanto atuava como conselheiro não remunerado a serviço do governador da região de Kirov, resultando em perdas de quase US$ 500 mil ao orçamento regional. Navalni responderá em liberdade, mas assinou um termo comprometendo-se a não deixar Moscou enquanto responde ao processo.

O indiciamento é um marco para o presidente Vladimir Putin que, como líder da Rússia, evitou durante 12 anos a abertura de processos criminais contra líderes ativistas, prejudicando-os, em vez disso, com métodos mais brandos como detenções de curto prazo. O processo indica que agora a ansiedade do Kremlin em limitar o impacto causado por Navalni tornou-se mais forte do que o risco de uma reação política negativa. / NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.