Justiça síria ordena prisão de escritor por críticas ao regime

Um juiz ordenou a prisão do escritor e opositor do governo sírio Michel Kilo, três dias depois de outro magistrado ter decretado sua libertação, informaram neste domingo ativistas de direitos humanos do país."Um juiz do Palácio de Justiça decidiu manter as acusações contra Kilo, por expor a Síria ao perigo de atos hostis, humilhar o sentimento nacional, degradar a reputação do Estado e incitar desavenças sectárias", relatou Amar Qorabi, porta-voz da Organização Nacional de Direitos Humanos (ONDH).Kilo, de 57 anos, foi preso em maio, junto a uma dezena de ativistas de direitos humanos e políticos de oposição, depois de pedir em mensagem ao regime do presidente Bashar al-Assad que pare de interferir nos assuntos do vizinho Líbano.Segundo Qorabi, o magistrado ordenou que Kilo fosse enviado à prisão de Adra (cerca de 20 quilômetros ao norte de Damasco), apesar de ter sido libertado por outro juiz na quinta-feira passada, depois de pagar fiança de 1.000 liras sírias, (equivalentes a cerca de US$20)."A ordem de libertação de Kilo desapareceu no tribunal, e ninguém sabe o paradeiro desse documento", explicou o porta-voz da ONDH.Qorabi lembrou que centenas de intelectuais sírios e libaneses assinaram junto à dezena de ativistas encabeçados por Kilo a carta em que pedem o fim da interferência síria no Líbano, publicada em maio no jornal libanês "al-Nahar".Na mesma carta, o escritor também pediu ao regime sírio a libertação de todos os presos políticos libaneses, e ressaltou a necessidade de que se respeite e consolide a soberania e a independência de Síria e Líbano frente às agressões israelenses e a política hegemônica dos EUA.Esse pedido aconteceu um dia antes de EUA, Reino Unido e França apresentarem um projeto de resolução no Conselho de Segurança da ONU que exigia à Síria o respeito à soberania do Líbano e a delimitação das fronteiras entre os dois países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.