Justiça vê mortes ligadas a missas negras em Florença

Procuradores italianos investigam um grupo secreto que planejou 16 assassinatos entre 1968 e 1985, atribuídos ao "mostro de Florença". Quatro pessoas foram declaradas suspeitas e, na segunda-feira, a casa de uma delas foi invadida pela polícia ao amanhecer. Trechos do mandado de busca foram publicados no jornal Corriere della Sera. Nele, os promotores públicos declaram que os assassinatos do "monstro de Florença" foram obra de uma conspiração. A matança foi perpetrada por um agricultor semianalfabeto, Pietro Pacciani, e dois outros homens, condenados e sentenciados no final da década de 1990. "Mas um grupo de pessoas que celebrava missas negras e realizava rituais de magia puseram as armas nas mãos deles", acrescenta o mandado.Segundo o jornal inglês The Guardian, todas as vítimas do "monstro" eram casais, vários deles atacados pelo matador quando estavam fazendo amor num local tranqüilo do campo. Nos estágios iniciais, houve especulação de que os assassinatos pudessem ter um aspecto ritualístico, assim como sexual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.