Justicialistas pretendem convocar eleições

O Partido Justicialista já se decidiu pela convocação da Assembléia Legislativa para escolher um novo presidente da Argentina, com mandato de 90 dias, e convocar eleições presidenciais diretas, conforme fonte do próprio PJ. A grande incógnita é quem cobrirá o mandato-tampão porque o senador Ramón Puerta, presidente interino da Argentina, não quer assumir o cargo sem o total apoio de seu partido. A disputa interna dos peronistas pode ser entendida da seguinte forma: Ramón Puerta é um homem ligado ao menemismo e o ex-presidente Carlos Menem quer que ele seja o presidente e termine o mandato de De la Rúa. Porém, a maioria dos peronistas não quer Menem na condução do processo eleitoral. Puerta se nega a aceitar a Presidência por mais que 48 horas, até a Assembléia de domingo, justamente por não contar com uma sustentação política total de seu partido. Dentre os nomes cotados para a transição, estão Oscar Lamberto, Eduardo Camaño e Eduardo Duhalde. Amanhã pela manhã, Duhalde reuniu-se com economistas do PJ para ajustar suas propostas econômicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.