Kabila encerra campanha eleitoral no Congo

O Congo sofre com guerra civil que já dura décadas. O presidente do Congo, Joseph Kabila, pediu o fim da violência em seu último comício antes da eleição deste domingo. Kabila conclamou seus eleitores a ?abrir uma nova página? na história do país.Ele disse que gostaria de ver as eleições, que escolherão presidente e congresso, transcorrendo de forma pacífica e calma.Neste domingo, o país terá as suas primeiras eleições depois de quarenta anos de violência e instabilidade política.Pouco antes da fala do presidente, o vice-presidente do governo de transição do Congo, Azarias Ruberwa, afirmou que um de seus guarda-costas tinha sido morto por disparos feitos por forças de segurança do presidente contra o seu grupo. Um correspondente da BBC na cidade de Bunia, próxima à fronteira com Uganda, disse que muitas pessoas terão grandes dificuldades para votar numa região onde cerca de 120 mil pessoas foram obrigadas a abandonar suas casas em decorrência dos confrontos entre o Exército congolês e milícias.Para acompanhar a eleição, as Nações Unidas enviaram 17 mil soldados ao país, que tenta pôr fim à guerra civil com as eleições.Um correspondente da BBC na capital Kinshasa disse que confrontos entre militantes de diferentes candidaturas, deixando vários mortos, mas que de uma forma geral, as eleições se aproximam de maneira tranquila.Kabila é um dos 30 candidatos à presidência, e para as 500 cadeiras do parlamento, há cerca de 9 mil candidatos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.