Kadafi cai em 'questão de dias', diz ex-diplomata líbio

Ex-enviado do país à Liga Árabe descreve coronel como 'muito pior que Saddam Hussein'

Agência Estado

23 de fevereiro de 2011 | 18h29

LONDRES - A queda do regime de Muamar Kadafi é uma "questão de dias", disse nesta quarta-feira, 23, Abdel Moneim al-Honi, ex-enviado da Líbia na Liga Árabe, advertindo que haverá "massacres terríveis" no país. Ex-integrante do conselho revolucionário líbio que se demitiu dias atrás, al-Honi disse em entrevista ao canal pan-árabe Al-Hayat que os protestos serão dispendiosos para a Líbia e o povo líbio, embora não acredite que haverá uma guerra civil.

 

Veja também:

especialLinha do Tempo: 40 anos de ditadura na Líbia

mais imagens Galeria:   Veja imagens dos conflitos

especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

blog Radar Global: Acompanhe os protestos na região

 

Ele descreveu Kadafi como "muito pior do que Saddam Hussein". Segundo ele, Saddam Hussein tinha um pouco de noção, enquanto Kadafi não tem qualquer noção, bom senso ou sabedoria. "Ele (Kadafi) não adora o dinheiro, ele adora o poder e acredita que governa pela divina providência".

 

Apesar disso, al-Honi disse estar confiante de que "o povo vai triunfar no final". Quando perguntado se se arrependia de sua participação no governo de Kadafi, ele respondeu que não se arrepende, mas que sente que ele e outros membros "fracassaram em servir ao povo líbio".

 

Os recentes levantes na Tunísia e no Egito podem ter inspirado o povo líbio, mas al-Honi disse que a pressão externa não é suficiente para provocar a queda do governo. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.