Kadafi critica rebeldes por ´internacionalizar o conflito´

O líder líbio, Muammar Kadafi, acusou neste sábado, 28, os rebeldes sudaneses da região de Darfur de tentar internacionalizar o conflito, ao tempo que reafirmou a necessidade de que os africanos "resolvam seus próprios problemas". Kadafi inaugurou, na cidade de Sirte, a 500 quilômetros ao leste de Trípoli, uma conferência internacional sobre Darfur, em uma nova tentativa de pôr fim a um dos conflitos mais sangrentos do continente africano. Segundo o líder líbio, os rebeldes tentam envolver o mundo nos antagonismos que desembocaram em uma guerra civil ao sudoeste do Sudão, "e não desejam que o problema seja resolvido pacificamente". A conferência conta com a participação do emissário da ONU para Darfur, Jan Eliasson, e do representante da União Africana (UA), o ex-ministro de Exteriores da Tanzânia Salem Ahmed Salim. Participam ainda os ministros de Exteriores do Sudão, Akol Lam; do Chade, Ahmat Allami, e do Egito, Ahmed Aboul Gheit, além dovice-ministro líbio para assuntos africanos, Ali Triki. Os países ocidentais são representados pelo enviado especial dos Estados Unidos, Andrew Natsios; o responsável para o Sudão do Ministério de Assuntos Exteriores britânico, Christopher Prentice, eoemissário francês Henri de Coignac. Em quatro anos, a guerra civil na província sudanesa de Darfur já deixou 300 mil mortos e cerca de dois milhões de deslocados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.