Kadafi diz que Mediterrâneo se tornou campo de batalha e ameaça civis

'Vamos abrir o depósito de armas e impedir a segunda cruzada do Ocidente, ameaça ditador líbio

estadão.com.br,

19 de março de 2011 | 19h06

O ditador da Líbia, Muamar Kadafi, ameaçou mais uma vez atacar alvos civis e militares fora da Líbia e disse que o Mar Mediterrâneo se tornou um campo de batalha. Ele prometeu reagir à operação Alvorada da Odisseia, lançada pela coalizão formada por EUA, França, Reino Unido, Canadá e Itália para implementar a resolução 1973 do Conselho de Segurança das Nações Unidas. 

Veja também:

especialTwitter: Acompanhe os relatos de Lourival Sant'anna

especialLinha do Tempo: 40 anos de ditadura na Líbia

blog Arquivo: Kadafi nas páginas do Estado

especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

especialCharge: O pensamento vivo de Kadafi

 

"Vamos abrir o depósito de armas", disse Kadafi. Ele convocou todos os líbios a defender o país da "segunda cruzada do Ocidente", em uma referência à invasão de Jerusalém por europeus na Idade Média.

 

Mais cedo, um porta-voz do governo líbio condenou os bombardeios. "Esta agressão é bárbara. Aceitamos a resolução e anunciamos um cessar-fogo. Mas isso não irá debilitar o nosso espírito", disse.

 

A televisão estatal líbia - controlada pelo ditador -  divulgou que os ataques aéreos da coalizão internacional atingiram áreas civis em Trípoli, matando a população local. Os bombardeios também teriam atingido tanques de depósito de combustível em Misrata.

 

A rede também afirmou que uma das aeronaves francesas que participam da intervenção foi derrubada pelas forças do líder líbio Muamar Kadafi. As notícias, no entanto, não puderam ser confirmada por nenhuma outra fonte independente. 

 

Leia ainda:

link EUA, França e Reino Unido, Itália e Canadá ampliam ataques a Kadafi

link Forças de Kadafi desrespeitam cessar-fogo e bombardeiam Benghazi

linkChávez chama de 'irresponsabilidade' intervenção militar na Líbia

linkCoalizão está pronta para agir contra Kadafi, diz Obama no Brasil

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.