Giuseppe Cacce/AFP
Giuseppe Cacce/AFP

Kadafi forneceu fantasias para festas em mansão, diz Silvio Berlusconi

Processo do Caso Ruby investiga o ex-primeiro ministro italiano por prostituição e abuso de poder

estadão.com.br,

20 de abril de 2012 | 16h58

MILÃO - O ex-primeiro ministro italiano Silvio Berlusconi disse nesta sexta-feira, 20, que o processo do Caso Ruby "é uma operação midiática de difamação" contra ele. "Vim aqui ver esta encenação, uma grande operação midiática de difamação", disse o ex-primeiro ministro, que compareceu ao tribunal em Milão para assistir a audiência do caso.

Veja também:

linkBerlusconi tem governo marcado por sexo e corrupção

linkOs modelos de fantasia das festa de Berlusconi

Berlusconi também afirmou nesta sexta-feira, 20, que o ex-ditador líbio Muammar Kadafi fornecera os trajes e fantasias utilizadas pelas mulheres nas festas da sua mansão em Arcore. O ex-primeiro ministro italiano disse ter recebido ao menos 60 trajes típicos depois de ter contado a Kadafi que apreciava as roupas usadas na Líbia.

"Sem dizer nada, fez [as roupas] chegarem em um container. São pretas, longas, com joias aplicadas", explicou Berlusconi. Ele também afirmou que "é um escândalo" o uso do dinheiro público para "este processo inútil".

Ele confirmou que mantém financeiramente todas as jovens que foram convidadas a participar das festas na mansão Arcore, já que algumas "tiveram que encerrar suas atividades comerciais", perderam o emprego e o namorado e "tiveram a vida estragada por este processo".

Ele garantiu que fazia apenas "jantares elegantes" e que, depois de comer, todos iam ao andar de baixo da mansão, para a "antiga discoteca dos meus filhos". Berlusconi afirmou que as garotas "faziam competições de comédia e se exercitavam", quando questionado sobre o uso de fantasias pelas mulheres.

O ex-primeiro ministro italiano é acusado de prostituição de menores e abuso de poder no processo que leva o nome da garota marroquina Karima El-Mahroug, conhecida como Ruby.

Com Ansa 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.