Kadafi não pediu asilo, diz Uganda

País africano é o primeiro a oferecer publicamente refúgio ao líder líbio

Associated Press

31 Março 2011 | 09h06

MOSOCU - Um oficial do governo de Uganda disse nesta quinta-feira, 31, que o líder líbio Muamar Kadafi não pediu asilo político ao país.

 

Veja também: 
especialTwitter: 
Acompanhe os relatos de Lourival Sant'anna

especialLinha do Tempo: 40 anos de ditadura na Líbia
blog Arquivo: Kadafi nas páginas do Estado
especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

especialEspecial: Os quatro atos da crise na Líbia
especialCharge: O pensamento vivo de Kadafi

 

O ministro da Segurança de Uganda, Amama Mbabazi, que se encontrou com o chanceler russo em Moscou nesta quinta, disse a jornalistas que as autoridades locais líbias não teriam feito nenhuma oferta formal.

 

As potências ocidentais estão pressionando Kadafi para deixar o poder com uma operação militar, ao mesmo tempo em que diplomatas tentam persuadir o líder líbio a deixar o país.

 

Uganda se tornou na última quarta-feira, 30, o primeiro país a publicamente oferecer asilo a Kadafi. O porta-voz do presidente de Uganda, Tamale Mirundi, disse à AP que o líder líbio seria bem-vindo no país africano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.