Kadafi rejeita reconhecimento de governo rebelde

Em uma mensagem de áudio dirigida a milhares de partidários na cidade de Zlitan, o líder líbio Muamar Kadafi rejeitou a decisão de um grupo de 30 países de reconhecer o órgão rebelde Conselho Nacional de Transição (CNT) como a "legítima autoridade de governo". O ditador voltou a afirmar que nunca se renderá.

AE, Agência Estado

15 de julho de 2011 | 15h46

"Não me interessa quais países reconhecem o conselho de transição dos rebeldes. Digam à Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) para levantar a bandeira branca e pedir perdão", afirmou Kadafi. "Vocês dizem que Kadafi está acabado, então por que todas essas pessoas estão aqui se manifestando? O povo líbio vai resistir. Eles nunca desistirão", garantiu, referindo-se a seus governados.

Não se sabe onde o líder do país está vivendo, porém seus comentários claramente repercutiam a decisão tomada por Washington e outros países para reconhecer formalmente a oposição como único representante legítimo do povo líbio.

O chamado Grupo de Contato para a Líbia afirmou hoje, em comunicado, que "o regime de Kadafi não tem mais autoridade legítima na Líbia". Com o reconhecimento do Conselho de Transição, fica aberto o caminho para o envio de verbas para as forças rebeldes. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaataquesreconhecimentoKadafiEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.