Karadzic se recusa a falar em tribunal da ONU

O ex-líder servo-bósnio Radovan Karadzic recusou-se hoje a declarar-se culpado ou inocente das 11 acusações contra ele apresentadas no Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia (TPII), o que levou o juiz Iain Bonomy a registrar declaração de inocência. Karadzic é suspeito de genocídio e crimes contra a humanidade, entre outras graves acusações, durante a Guerra da Bósnia (1992-1995). O magistrado marcou para 17 de setembro a data da próxima audiência, na qual Karadzic pretende contestar a jurisdição do tribunal especial estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) em Haia, Holanda, para julgar as atrocidades cometidas durante as guerras que levaram à dissolução da Iugoslávia na década passada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.