Karzai admite pedir ajuda externa para pacificar o Afeganistão

Se as facções guerreiras rivais puserem em risco as chances do Afeganistão de chegar a um futuro estável, o líder provisório do país, Hamid Karzai, diz que não hesitará em pedir para que tropas dos EUA e de outros países entrem para resolver a disputa. ?Se houver um elemento que consideremos que está agindo deliberadamente para desestabilizar o Afeganistão e não pudermos detê-lo, então certamente pediremos ajuda às forças de segurança?, disse ele, em entrevista à Associated Press.Disputas entre facções têm surgido em diversas partes do país, envolvendo senhores da guerra locais que controlam tropas fortemente armadas. O pior surto de violência, no leste da província de Paktia, mês passado, deixou 50 mortos.Os EUA dizem que as tropas americanas que permanecem no país estão se dedicando a caçar membros remanescentes do Taleban e da Al-Qaeda, e que esses homens não irão integrar uma força de paz - embora haja notícias de de bombardeios americanos a fações que se opõem a Karzai. O general Richard Myers, chefe do Estado-Maior, negou esses informes. ?Não há mudança de política?, declarou.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.