Karzai afirma que líderes do Taleban buscam diálogo de paz

O presidente afegão, Hamid Karzai, disse ontem que os líderes do deposto movimento Taleban o estão contactando com maior freqüência para encontrar meios de obter um acordo de paz. Líderes militares ocidentais e do Afeganistão reconhecem que as negociações são necessárias para pôr fim à insurgência taleban, que este ano causou a morte de cerca de 5 mil pessoas. Mas advertem que os negociadores do governo têm de ter uma posição firme. Segundo os comandantes da força da Otan no país, os insurgentes não são um grupo unificado e, apesar de alguns líderes estarem dispostos a dialogar, não representam todo o Taleban. Mas as negociações podem ser úteis para atrair figuras mais moderadas do grupo e dividir a insurgência.Karzai disse que os contatos com membros do Taleban no Afeganistão e também no Paquistão foram intensificados nos últimos sete meses. "Estamos dispostos a falar com os taleban que não são parte da Al-Qaeda nem ligados à rede terrorista", disse Karzai.Os taleban têm agora uma presença permanente em 54% do território afegão e o país corre sério risco de cair totalmente sob o controle dos insurgentes, indicou um relatório do Senlis Council, um centro de estudos independente, integrado na Rede de Fundações Européias. O relatório alerta também que os insurgentes exercem um "significativo controle psicológico e ganham cada vez mais legitimidade aos olhos dos afegãos, que têm uma longa história de mudanças de alianças e regimes". REUTERS E EFE

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.