Karzai anuncia que tropas afegãs assumem segurança

O presidente afegão Hamid Karzai anunciou nesta terça-feira que as forças do país assumiram a responsabilidade pela segurança em todo o território, que era coordenada pela coalizão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), liderada pelos Estados Unidos. Trata-se de um marco significativo na guerra, que já dura 12 anos.

Agência Estado

18 de junho de 2013 | 12h47

Mas a violência no país não dá trégua. Poucos quilômetros de onde Karzai estava falando, um ataque com bomba foi realizado contra um importante legislador. O político não foi atingido, mas três civis morreram.

Em outro importante anúncio, Karzai disse que em breve vai enviar representantes para o Catar para discutir a paz com o Taleban.

A entrega dos encargos sobre a segurança representam um ponto de inflexão para as forças militares da Otan e dos Estados Unidos, que passarão a prestar apenas serviços de apoio, além de abrir o caminho para sua total retirada em 18 meses.

"Este é um momento histórico para nosso país e a partir de amanhã todas as operações de segurança estarão nas mãos das forças afegãs", disse Karzai durante a cerimônia, realizada na Universidade Nacional de Defesa, construída para treinar os futuros oficiais militares do Afeganistão.

Na prática, isso significa que as tropas de combate norte-americanas e de outros países não participarão diretamente do combate à insurgência, mas vão assessorar e apoiar, quando necessário, com suporte aéreo e retiradas para tratamento médico.

A transição também acontece num período no qual a violência atinge níveis comparáveis aos piores em 12 anos, alimentando as preocupações de alguns afegãos de que suas forças ainda não estão prontas para a tarefa.

Karzai disse que nos próximos meses as forças de coalizão se retirarão gradualmente das províncias afegãs e serão substituídas por forças locais.

Ao anunciar a quinta e última fase do processo, que começou com a reunião da Otan em novembro de 2010 em Lisboa, Karzai disse que "a transição será concluída e as forças de segurança afegãs liderarão e conduzirão as operações".

Ele disse também que vai enviar representantes do Alto Conselho de Paz para Doha, onde haverá reuniões com representantes do Taleban. Karzai visitou o Catar na semana passada e discutiu o impasse do processo de paz e a possível abertura do escritório do Taleban, que foi anunciada nesta terça-feira.

Afeganistão e Estados Unidos apoiam a abertura como parte dos esforços para retomar as negociações com o grupo insurgente. Mas, primeiramente, afirmam Cabul e Washington, o Taleban deve renunciar às suas ligações com a Al-Qaeda e com outros grupos terroristas e aceitar a Constituição afegã.

Karzai também elogiou o trabalho da Otan para ajudar as forças afegãs a chegarem ao ponto no qual os militares estão prontos para assumir a responsabilidade pela segurança do país. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.