Karzai apresenta projeto militar para o Afeganistão

O presidente afegão, Hamid Karzai, apresentou hoje um plano para formar um exército nacional de 70 mil soldados com o objetivo de estender a segurança além de Cabul. O anúncio foi feito em uma conferência internacional sobre o Afeganistão, realizado na Alemanha, no primeiro aniversário do acordo segundo o qual Karzai foi eleito como líder do novo governo pós-Taleban. O coordenador da política afegã no governo dos Estados Unidos, David Johnson, disse que o plano é um sinal de progresso no Afeganistão, onde os chefes dos clãs regionais ainda mantêm grande poder. "É um claro sinal. O plano conta com o aval de todos os que formam parte do governo", disse Johnson. Um decreto de Karzai com os detalhes do projeto circulou entre os diplomatas que participaram da conferência. O plano estabelece pautas para desarmar os ex-combatentes afegãos e proíbe a existência de outra força militar que não seja a do Exército. "Tomamos a decisão de ter um Exército perqueno, efetivo, bem pago e a serviço da nação", disse o presidente. A conferência de um dia, da qual participaram governos de 31 países, foi realizada em um hotel nas colinas próximas a Bonn, a ex-capital germânica, onde as facções afegãs chegaram a um acordo no ano passado sob o patrocínio da ONU. A ampliação da autoridade do governo central sobre todo o território afegão é um ponto crítico para concretização do envio de bilhões de dólares de assistência oferecida, a partir da qual deverá estabelecer-se a base para convocar eleições para 2004.

Agencia Estado,

02 Dezembro 2002 | 16h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.