Karzai busca auxílio Saudita para negociar com Taleban

O presidente afegão, Hamid Karzai, disse hoje que pediu ao rei Abdallah, da Arábia Saudita, que ajude a facilitar as conversas de paz com o Taleban. Karzai afirmou que sua intenção é encerrar o conflito no país. Segundo o líder, não houve ainda negociações, apenas pedidos de ajuda. Mas ele disse que funcionários afegãos viajaram tanto para a Arábia Saudita quanto para o Paquistão, trabalhando para o fim da violência. "Nos últimos dois anos, eu enviei cartas ao rei da Arábia Saudita e mensagens, e eu pedi a ele, como líder do mundo islâmico, pela segurança e prosperidade do Afeganistão e pela reconciliação no Afeganistão. Ele deve nos ajudar", afirmou Karzai.O presidente falou durante a tradicional mensagem aos afegãos durante o feriado religioso muçulmano do Eid-al Fitr. Karzai assegurou que o governo tenta encorajar os militantes e abandonarem as armas. Karzai afirmou que no passado já enviou mensagem ao líder do Taleban Mulá Omar, para que ele "voltasse a sua terra natal e trabalhasse pela felicidade do povo". Funcionários afegãos tentam há tempos contatar o Taleban e outros militantes para conversas de paz. Mas essas iniciativas - inclusive os esforços da administração Karzai - foram rechaçadas.O líder fugitivo do Taleban Mulá Omar, por sua vez, divulgou sua própria mensagem no feriado religioso. Ele lançou várias acusações contra os membros das forças de segurança afegãs, chamando-os de ladrões, contrabandistas e criminosos, e que não merecem a confiança da população. Um ex-líder do Taleban disse na semana passada que os militantes não consideram Karzai um líder forte. Para eles, o presidente não pode bancar nenhum acordo sem o apoio dos Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.