Karzai condena morte de civis no Afeganistão

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, disse hoje que 10 civis, dentre eles oito estudantes, foram mortos num confronto envolvendo forças internacionais no leste do país. Ele condenou as mortes e pediu uma investigação.

AE-AP, Agencia Estado

28 de dezembro de 2009 | 16h03

A morte de civis é uma das questões mais sensíveis para as forças militares internacionais no Afeganistão. Embora os dados da Organização das Nações Unidas (ONU) mostrem que um número maior de civis é morto pelo Taleban, as mortes nas mãos de estrangeiros dão origem a grandes ressentimentos que podem prejudicar as tentativas das forças internacionais de enfraquecer o Taleban.

Segundo Karzai, as mortes ocorreram no domingo no distrito de Narang, província de Kunar.

O chefe de polícia provincial general Khalilullah Zaiyi disse que cerca de 10 pessoas foram mortas no domingo e que investigadores foram enviados para a região para confirmar os relatos de que civis estão entre os mortos.

A Força Internacional de Assistência e Segurança (Isaf) da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) disse não ter informações imediatas sobre o confronto citado na declaração de Karzai.

Hoje, a Otan disse que forças internacionais e afegãs estavam lutando no noroeste do país após terem sido atacadas quando tentavam fazer a segurança de postos avançados de segurança.

Confronto

Cerca de 60 militantes teriam atacado os soldados internacionais e afegãos com granadas propelidas por foguetes e armas de fogo a partir de locais próximos do distrito de Bala Murgahb, na província de Badghis, na fronteira com o Irã, informou a Otan.

"A Isaf e as forças afegãs continuam lutando uma longa batalha com pequenas armas e morteiros, bem como ataques aéreos de precisão contra posições insurgentes confirmadas", diz o comunicado. Não há relatos de mortes de civis, diz o comunicado, que não especifica se há mortos entre as tropas ou entre os militantes.

Dois membros da Polícia Nacional Afegã foram mortos quando militantes atacaram um posto de controle no oeste do Afeganistão. Outros três policiais estão desaparecidos após um ataque na noite de sábado no distrito de Qadis, na província de Badghis, disse Raouf Ahmedi, porta-voz da polícia nacional no distrito. Uma força conjunta de soldados internacionais e afegãos se espalharam por três distritos da província para procurar por militantes e pelos policiais desaparecidos.

A Otan também divulgou hoje que forças de segurança internacionais e afegãs capturaram militantes na noite de domingo na província de Kandahar, sul do Afeganistão, e nas províncias de Wardak e Khost, leste do país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.