Ahmad Masood/Reuters
Ahmad Masood/Reuters

Karzai confirma que Afeganistão recebe dinheiro do Irã

Presidente, porém, diz que EUA são cientes da transação e que Washington também contribui

Associated Press

25 de outubro de 2010 | 10h27

CABUL - O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, disse nesta segunda-feira, 25, que "uma ou duas vezes por ano" o Irã dá ao seu governo entre US$ 700 mil e US$ 975 mil para despesas presidenciais oficiais. Karzai acrescentou que os EUA são cientes disso e que Washington também dá ao governo afegão "sacos de dinheiro".

 

Veja também:

linkDiálogo entre Afeganistão e Taleban não trata de paz

linkAtaque da Otan deixa ao menos 25 mortos

link600 soldados da Otan morreram no país em 2010

 

O governo dos EUA, por sua vez, se disse "cético" a respeito dos motivos pelos quais o governo iraniano haveria doado fundos a administração de Cabul. "Vamos deixar que o governo afegão diga como gastou a ajuda financeira que recebeu de outros países", disse à imprensa o porta-voz do Departamento de Estado, Philip Crowley.

 

Em conferência de imprensa ao lado do presidente do Tajiquistão, Emomali Rahmonov, Karzai disse que seu governo continuará a receber os pagamentos e que a quantia faz parte de uma relacionamento entre bons vizinhos.

 

"Eles pediram boas relações em troca, e outras coisas mais. E nós também pedimos uma série de coisas nessa relação. É uma relação entre vizinhos, e ela vai continuar e seguiremos pedindo ajuda ao Irã".

 

"É um processo transparente. É algo que eu até discuti quando estive em Camp David com o (ex-)presidente Bush", explicou Karzai, argumentando que Washington está totalmente a par das transações do governo iraniano.

 

Ainda segundo o líder afegão, os EUA não só sabiam do processo como também dá dinheiro ao governo. "Eles também nos dão sacos de dinheiro. Sim, ele dão. É a mesma coisa. Então não vamos fazer disso um problema", concluiu.

 

Os comentários de Karzai foram uma resposta à reportagem do jornal americano The New York Times do dia anterior, que acusava o Irã de passar dinheiro para o chefe de gabinete do governo afegão, Umar Daudzai, para comprar sua lealdade em troca da promoção dos interesses iranianos dentro do governo de Cabul.

 

O jornal citou fontes anônimas dizendo que a verba era usada para pagar advogados, lideres tribais e até comandantes da milícia Taleban no Afeganistão. Karzai, porém, disse que vários países fornecem dinheiro ao seu governo por que seu país sofre com a falta de recursos.

 

Atualizado às 20h37 para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoEUAKarzaiNew York Times

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.