Karzai critica mortes de afegãos em ofensiva dos EUA

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, condenou na segunda-feira, 5, a morte de dez civis atingidos por tropas americanas depois de um ataque contra um comboio no fim de semana, na cidade de Jalalabad. Outros nove civis - cinco mulheres, três crianças e um idoso - foram mortos em um ataque aéreo de tropas ocidentais no distrito de Nijrab, na Província de Kapisa, ao nordeste de Cabul, disse nesta segunda-feira o vice-governador da província. A operação ocorreu depois de um ataque com um foguete contra uma base norte-americana, disse o vice-governador Sayed Dawood Hashimi. Tanto as forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) como as norte-americanas disseram que o incidente está sendo investigado. No primeiro incidente, militares dos EUA disseram que suas tropas enfrentaram uma emboscada "complexa" do Taleban, envolvendo um ataque suicida e disparos em uma área povoada, no domingo, nos arredores de Jalalabad. Segundo informaram, os soldados dispararam para se defender e 16 civis foram mortos no ataque suicida e tiroteio que se seguiu. Nenhum representante do governo central ou regional confirmou a informação do Exército dos EUA de que o comboio teria sido atacado por rebeldes. Dois funcionários do governo regional disseram no domingo que dez civis foram mortos e mais de 25 ficaram feridos, enquanto os soldados americanos deixaram o local do ataque. "Karzai condenou veementemente o incidente ocorrido", disse em comunicado o palácio. Karzai ordenou a realização de um inquérito, mas investigações desse tipo feitas anteriormente pela Otan e governo afegão apenas confirmaram acusações de testemunhas sobre a morte de civis. Apesar das centenas de mortes de civis, nenhum soldado estrangeiro nunca foi considerado culpado. O Taleban ameaçou com uma ofensiva nas próximas semanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.