Karzai diz ter visto pouca evidência de fraude eleitoral

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, disse hoje que viu pouca evidência de fraude na eleição presidencial. Em sua primeira entrevista coletiva desde o dia da eleição, Karzai disse que estava "particularmente chocado" com o relatório da União Europeia (UE) divulgado nesta semana, que apontava suspeita de fraude em até um terço dos votos dados a ele estavam. "Eu acredito firmemente na integridade da eleição, do povo afegão e do governo nesse processo", disse Karzai.

AE-AP, Agencia Estado

17 de setembro de 2009 | 18h16

Os comentários marcam a primeira contradição sobre as acusações de fraude e assinalam os esforços para melhorar as informações sobre as eleições, após semanas de informações sobre como o pleito pode ter sido manipulado em favor do presidente. Karzai disse que a imprensa Ocidental fez uma cobertura "preponderantemente negativa" das eleições, que segundo ele significam um triunfo para o país.

O presidente afegão não se declarou vencedor da eleição. Nesta quinta-feira, ele reafirmou seu apoio a uma investigação sobre fraude eleitoral. Resultados preliminares anunciados ontem deram a Karzai 55% dos votos, quase 27 pontos porcentuais de vantagem sobre seu principal adversário, Abdullah Abdullah. O comparecimento dos eleitores foi de 39%, bem abaixo dos 70% da eleição presidencial anterior em 2004. A eliminação de votos com problemas pode baixar ainda mais o porcentual de comparecimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.